segunda-feira, 27 de novembro de 2017
 
     
 
Coordenador de Saneamento da SSRH participa de audiências públicas na Câmara Federal
 
     
 
 
 
A audiência do dia 23/11 debateu o financiamento para pesquisa na área de saneamento (Foto: Divulgação)
 
     
 
O engenheiro Américo Sampaio, coordenador de Saneamento da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo (SSRH), participou de duas audiências públicas na Câmara dos Deputados, em Brasília, para debater temas relacionados à área. Na primeira audiência, no dia 22/11, proferiu palestra sobre os programas de racionalização de uso da água que já são realizados no Estado de São Paulo. Na segunda audiência, no dia 23, participou da coordenação do debate sobre o fomento de pesquisa e desenvolvimento na área de saneamento no País.
 
Promovida pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara, a audiência pública do dia 22/11 teve como foco o projeto de lei nº 6.963/2002, de autoria do deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PV/SP), que institui diretriz sobre a obrigatoriedade de implantação de programas de racionalização do uso da água. “Fizemos uma explanação das ações que já existem em São Paulo, com destaque para o Programa de Gestão de Demanda, que ganhará uma nova fase com assinatura de convênio entre a SSRH e a Secretaria da Habitação para in¬tervenções em conjuntos habitacionais da CDHU visando reduzir o consumo de água com implantação de dispositivos de descargas e vasos sanitários mais econômicos em cerca de 5 mil imóveis, além de vistorias para avaliar perdas de água em áreas comuns e redução de pressão em alguns locais para prevenir vazamentos”, ressalta Américo Sampaio.
 
Investimento em pesquisa
Já a audiência do dia 23, promovida pela Subcomissão Permanente de Saneamento Ambiental da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado João Paulo Papa (PSDB/SP), discutiu as atuais políticas de pesquisa e desenvolvimento na área de saneamento básico no Brasil. Américo Sampaio participou da coordenação do evento, que destacou como exemplo o Prosab, programa da Finep para apoio à pesquisa no setor, e procurou apontar caminhos para propor uma nova estrutura que dê suporte ao financiamento para a área em todo o País. “A discussão é um primeiro passo para que o Congresso defina essa nova estrutura de financiamento, o que é fundamental para que o País melhore os índices de saneamento básico, principalmente nas comunidades mais carentes”, ressaltou o coordenador de saneamento da SSRH.
 
   
  Já a audiência do dia 22/11 discutiu projeto de lei sobre racionalização do uso da água (Foto: Divulgação)  
  Share on FacebookTweetShare on Google+Post to TumblrShare on LinkedInSend email
Mais notícias