segunda-feira, 11 de junho de 2018
 
     
 
Márcio França inaugura obras que aumentam o tratamento de esgoto em Jarinu e Mombuca
 
     
 
 
 
     
 

O governador Márcio França inaugurou no sábado, 9 de junho, obras que ampliam a coleta e o tratamento de esgoto em Jarinu, na região de Jundiaí, e em Mombuca, região de Piracicaba. O investimento de quase R$ 20 milhões vai garantir esgoto coletado e tratado para mais de 27 mil pessoas. Isso vai melhorar a saúde e a qualidade de vida dos moradores. O evento, realizado na Prefeitura de Campinas, contou com a presença do secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Ricardo Borsari, além de outras autoridades estaduais e regionais.

 

A nova estação de tratamento de esgotos de Jarinu tem capacidade para tratar até 70 litros por segundo. Isso significa que todo esse efluente retornará limpo para o ribeirão Maracanã, afluente do rio Atibaia. Depois, este rio ganha o nome de Piracicaba que, por sua vez, deságua no Tietê, o mais importante rio paulista.

 

Em Mombuca, a estação tratará 10 litros por segundo, beneficiando as águas do córrego Mombuca, afluente do Capivari, que também deságua no Tietê. Dessa forma, a iniciativa trará melhora na qualidade da água de todos estes corpos hídricos. Mais tratamento de esgoto, rios mais limpos.

 

Para receber a carga poluidora gerada principalmente na região de Nova Trieste, em Jarinu, foram construídos 9 km de tubulação entre coletores-tronco e linhas de recalque, além de outros equipamentos como o emissário Jarinu e duas estações de bombeamento. A obra, que gerou 600 empregos entre diretos e indiretos, atenderá, de imediato, 3.500 imóveis.

 

Já em Mombuca, além da estação de tratamento, foram construídos quase 1,2 km de tubulação do tipo linha de recalque, estação de bombeamento e emissário para encaminhar o efluente. Para execução das obras, 200 postos de trabalho foram gerados entre diretos e indiretos, incentivando a economia local.

 

Investimentos na região

 

As obras inauguradas se somam a uma série de investimentos da Sabesp na região. No ano passado, a empresa passou a usar água do Rio Jundiaí para abastecimento em Várzea Paulista. Feito que só foi possível após a melhoria da qualidade do rio, consequência da construção de estações de tratamento de esgoto. Não há, em todo o país, registro de uma bacia hidrográfica altamente adensada como a bacia do rio Jundiaí que tenha sido despoluída.

 

Em Itatiba, a empresa aumentou a oferta de água com a construção de nova estação de tratamento de água, além do aumento da captação e tubulações, ampliando a capacidade de produção em 500 litros de água por segundo.

 

Contratos do Fehidro

 

O governador Márcio França também assinou neste sábado contratos para a liberação de recursos do Fehidro para municípios da região de Campinas. São R$ 23,5 milhões para 13 municípios aplicarem em 16 projetos da área de saneamento e recursos hídricos. Os projetos são voltados para melhorias dos sistemas de água e esgoto, macrodrenagem, combate a enchentes, redução de perdas de água, disposição de resíduos e aterros sanitários, além da recuperação e preservação de bacias hidrográficas. As contrapartidas das prefeituras são de quase R$ 11,3 milhões, somando investimentos totais de R$ 34,8 milhões.

 

Os recursos são repassados através do Fehidro, que é o Fundo Estadual de Recursos Hídricos, e são oriundos da cobrança pelo uso da água, recolhida por empresas e instituições que utilizam a água para abastecimento público e produção industrial. Os investimentos são definidos e aplicados na própria bacia hidrográfica pelos comitês de bacia que têm participação ativa da sociedade local nas decisões. Os municípios beneficiados são: Águas da Prata, Artur Nogueira, Brotas, Cordeirópolis, Ipeúna, Itirapina, Louveira, Mogi Guaçu, Rio das Pedras, Santa Bárbara d’Oeste, Santa Cruz da Conceição, Valinhos e Vargem Grande do Sul.

 

O primeiro contrato do Fehidro foi assinado em 1995, sendo que 618 municípios já foram atendidos (95% do Estado de São Paulo), com investimentos de R$ 1,658 bilhão (R$ 1,272 bilhão do Fehidro mais R$ 386 milhões em contrapartidas).

 

 

     
  Share on FacebookTweetShare on Google+Post to TumblrShare on LinkedInSend email
Mais notícias